A vanguarda nunca morreu

Por quanto se vendeu a ideia de que a provocação, a transgressão, o espírito de vanguarda teriam cedido a uma espécie de cansaço? Quando a compreensão desse espírito, sem dúvida cumprindo mais além do que o romantismo sequer imaginava, foi neutralizada com uma aceitação/comodidade que lhe transmite um tédio do pensamento?

Nem os gregos estão mortos.

Dois extremos que se afastam no tempo e se tocam no gesto:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: